segunda-feira, 28 de maio de 2018

Greve dos Donos de Caminhão: Nem Lula Solto Nem Militares No Poder

Algumas verdades precisam ser ditas sobre essa greve ou locaute dos caminhoneiros pelo país.

Dentre elas, a primeira é que o que pode ter sido iniciado por um locaute, perdeu o controle e se tornou uma grande paralisação que misturou diversas linhas de pensamento.
Há diferentes formas de se olhar para essa greve.

A primeira é a visão da "esquerda", que no Brasil é composta por dois segmentos: o trabalhismo e a esquerda pseudo-intelectual.

A esquerda trabalhista apoia a greve ( mesmo que de forma tímida ), e está ao lado dos trabalhadores, mas também sabe da importância de cooptar esses trabalhadores para a sua linha de pensamento. Para isso, aposta em diálogos com os caminhoneiros, e pautas voltadas às necessidades não só dos caminhoneiros como de toda a população do país. O principal falastrão desta linha é o presidenciável Ciro Gomes e o seu histórico ( não dele, mas de Brizola ) PDT. Mas a timidez em se manifestar de forma mais firme, causa um mal estar em militantes desta ala.

A esquerda intelectual ( se é que tem intelecto em suas cabeças ), nega esse movimento e insiste na teoria do locoute ( greve de patrão ), isto porque as manifestações não são para os direitos que essa ala da esquerda defende. Para eles, só tem legitimidade manifestações que dão apoio ao movimento LGBT, e que seja contra a religiosidade das massas populares. Para eles qualquer manifestação que não se enquadre em sua linha de pensamento, não deve ser valorizada. Aqui podemos encontrar alas do PT que abandonando sua linha histórica em favor dos trabalhadores, tenta incutir a ideia de que essa manifestação tem cores de Lula Livre. Não que não haja quem realmente está pedindo isso, mas não na proporção que o PT alega.

O segundo ponto de vista é o da "direita". esta também se arrasta e escorrega nesta paralisação.

Uma parte da direita, a "liberalóide", não sabe o que fazer, não sabe o que falar. Ela está ao lado do governo, e suas políticas econômicas ( elevadas ao patamar de salvação da nação no pós-Dilma ), que afundaram o país em uma condição que talvez ( não sendo alarmista ), nunca tenhamos visto "na história desse país". Eles mentem acordos entre caminhoneiros e governo, tentam criar soluções jogando a culpa para os governadores. Em resumo, são talvez os mais culpados por tudo isso. que está acontecendo agora.

A outra ala da direita é a "direita retrô" que é representada em grande proporção pelo "não menos ou até mais falastrão" Jaindo Bolsonaro. Estes são os mais perturbados de todos aqueles que se envolveram nessas greves. Quase duas vezes por dia, eles divulgam em Facebook vídeos de "generais" e "capitães", que alegam estar tudo pronto para o golpe militar final nos comunistas. Eles também distribuem áudios pelo WhatsApp de supostas juízas e soldados que pedem o apoio da população para o exército tomar o país. Mesmo as declarações oficiais dos verdadeiros membros do comando das forças armadas dizendo que não vai haver golpe militar não põe fim a seus delírios e as imbecilidades produzidas pelo numeroso exército de produtores de mentiras. Mas assim como os que pedem o Lula nas ruas, um número pequeno de grevistas realmente carrega faixas pedindo a volta dos fardados ao comando do país. há quem durma até com cobertores com a foto de um tal Mourão que produz uma certa espécie de atração sobre esses homens.

Podemos chegar a duas verdades a partir de toda essa análise: a primeira é que Lula não será solto, a segunda é que os militares não vão tomar o poder.

De tudo isso, faltou entender o que o povo acha disso tudo.

Há aquela parcela da população que realmente acredita ingenuamente que essa greve é contra todas as mazelas que o país colocou em seus lombos nesses 518 anos de existência. E que demonstra total apoio aos donos de caminhão e até aos caminhoneiros. Mesmo que em aparte reproduzindo os discursos idiotizados e repetitivos da esquerda anti-golpe e da direita fardada.

Mas há também uma parte da nova massa criada nos últimos anos no país a pseudo Classe Média, composta por um grupo de pessoas que colocam sua vida acima de toda a coletividade. Essa massa distribuída igualmente entre a esquerda e a direita brasileira, tem como alguns exemplos aqueles que apoiam os militares no poder, mas que correm para os postos de gasolina abastecerem seus carros mesmo que o preço esteja muito acima do normal ( sob a desculpa da greve ). Outros que dizem: "não queriam tirar a Dilma, agora se virem".

Essa pseudo classe média é a responsável por alimentar a fama de novos ícones da sociedade brasileira, como Lendro Karnal ( professor de história das religiões que é ateu ), Alexandre Frota ( que faz filmes eróticos com travestis porque é contra a ditadura gay e o comunismo ), Marco Antônio Villa ( mestre em sociologia, sério, mestre em sociologia ), Kim Kataguiri ( japonês NÃO formado na Universidade Federal do ABC ), Leonardo Boff ( teólogo que confundiu Evangelho com filosofia ), e outros abestados.

Não há o que se tirar de positivo se observarmos toda situação do país pelos olhos deste último grupo citado.

São aqueles seus amigos que discutem política entre si, enquanto esperam para "fazer o próximo" em belos campos de grama artificial, alugados para a pelada na quinta-feira toda a semana.

Ou aqueles que usam as redes sociais para "mitarem" nas páginas e postagens dos outros, mas que quando confrontados com argumentos mais formulados usama saída fácil do "Ad hominem".

São aqueles que acham que os EUA são os causadores de suas dificuldades diárias, me também aqueles que acham que terão uma vida melhor se mandarem aquela menina negra de cabelo grande para Cuba ( mesmo que ela sequer seja de esquerda, afinal é negra, portanto é feminista de esquerda olha o cabelo! ).

A direita e a esquerda brasileira produziram esse tipo de escremento intelectual nos últimos anos, sem se importar com o que o verdadeiro povo brasileiro quer.

Eles colocam a educação, segurança, qualidade de vida, saúde e tudo o mais em segundo plano.

Para eles importa impor suas verdades absolutas como dogmas de vida para as massas.

Querem impor sua religião híbrida que odeia gays, mas permite adultérios e beberrices. Quando não falam em torturas e matanças em nome da família tradicional.

Ou acabar com a religião alheia porque sua sexualidade está acima do bem e do mal. Tentando doutrinar crianças mesmo que isso seja errado, pois afinal, importa mais impor suas doutrinas.

Quando questionados sobre economia citam na ponta da língua Marx, von Mises e outros, para parecerem mais inteligentes. Mas nada sabem da vida real.


Mas, e então?
Qual a minha opinião sobre essa greve?

Desculpem, não dá mais para escrever, pois chegou a minha vez na bomba de abastecimento depois de 3 horas de fila, abraços...

sexta-feira, 25 de maio de 2018

A Greve dos Caminhoneiros Vista Por Quem Nada Viu

O juiz Sérgio Moro, em despacho considera os bloqueios como questionáveis.

O ministro da justiça Raul Jungmann disse que usará as forças armadas para desbloquear rodovias.

A polícia federal chama greve de locaute.

A esquerda ( entenda-se os esquerdosos imbecilizados ), dizem que a greve é dos patrões, e que é apenas castigo pelo "golpe".

A direita não sabe o que dizer.

Bolsonaro disse que apoia a greve no mesmo dia em que diz que "trabalho análogo à escravidão, não é escravidão e que o povo vai ter que entender isso.

Ciro Gomes, disse que a solução para a crise é demitir o presidente da Petrobras, como se demitindo esse, o outro teria um milagre escondido na cartola.

Pelo famoso WhatsApp, é possível ouvir declarações de supostos caminhoneiros obrigados por patrões a pararem, de caminhoneiros pedindo cobertores e comida para as pessoas ( como se ele tivesse entregue essas mesmas coisas nos mercados para podermos entregar a eles ), e até de "alienados" que juram ter visto tropas militares indo para Brasília, invadir o país.

Ouviu-se presidentes de sindicatos e associações que ninguém conhecia a existência dando as mais loucas declarações e desculpas imagináveis.

Militares abestados vomitaram que já estavam prontos para ordenar a seus batalhões ( que já estavam prontos ), o ataque para libertar o país dos políticos. Mas como eles não eram na verdade comandantes de nada, precisavam antes que elo Facebook suas postagens tivessem mais de 1 milhão de compartilhamentos.

O "brasileiro médio comum" ( termo preconceituoso reproduzido aqui por nós para tentar agradar a classe mais elitista e intelectual ), não acredita em nada, ou acredita em tudo. E portanto, posta fotos e piadas sobre cerveja nas suas redes sociais. Porque para esse tipo de brasileiro, a vida se resume a próxima oportunidade de beber mais algum gole e falar mal de alguma coisa.



Enquanto isso, eu aqui em Nova Iorque, estou tomando uma brisa fresca no Central Park, pensando em como seria difícil ter opinião se estivesse pelas bandas do meu país.

Quem sabe se um dia eu posto pelo Youtube uma série de vídeos mostrando o quanto os preços por aqui são melhores que os de lá...

Opa, meu friend aqui acaba de me dizer que meia dúzia de "filhinhos de papai" já o fazem.

quarta-feira, 4 de abril de 2018

Reajuste Miserável e Militar Abobado - Tudo Na Semana de 02 a 04 de Abril de 2018

- Deputados de Mato Grosso do Sul, aprovaram por 19 votos a 0 projeto que reajusta em 3,04 % salário dos servidores do administrativo da educação.

- O secretário Édio Viegas disse que o reajuste foi "responsável". Só faltou dizer que provavelmente é responsável por envergonhar o estado.

- Enquanto isso, o deputado federal Zeca do PT ganhou mais uma na justiça. O TJ manteve a decisão que o inocenta da famosa farra da publicidade.

- Já o prefeito de Campo Grande, Marcos Marcello ao invés de se preocupar com sua administração mediocre, está mais preobupado com a volta da ditadura militar.

- Isso porque alguns militares aimda pensam que estão em 1960, e usam as redes sociais para vomitarem asneiras.

- Em São Gabriel do Oeste, o vereador Rosmar Alves ( PP ), quer aprovar projeto que cria horário de leitura da Bíblia. A idéia ganhou apoio e repúdio. Pelo número de "ateus" que falaram sandices sobre estado laico, o vereador tinha que criar projeto de leitura também para os pais. Haja aula de interpretação de texto.

- Já de olho nas eleições, italiano vem mandando e desmandando em seus lambedores de botas. Ele até escolhe onde eles devem se filiar.

- Já pelo lado dos tucanos, nome para o senado cria desentendimentos. Uns querem galinhas, outros, patos. Eles que tem penas que se entendam.


Boa Semana.

segunda-feira, 12 de março de 2018

Morre Médico da Máfia do Câncer em Campo Grande

   
Morreu no domingo ( 11 ) o médico cardiologista e ex-diretor do Hospital Universitário, José Carlos Dorsa.

O médico estava em uma casa de massagem de Campo Grande, conhecida por ser frequentada por aqueles que simpatizam por carinhos íntimos de pessoas do mesmo sexo.

Na hora da morte, ele estava acompanhado de um suposto garoto de programa de Brasília que não foi identificado, que deixou o local antes da chegada da polícia.

Dorsa, que havia discutido com seu companheiro, teria ido até a casa de massagem para dar uma "desanuviada" na cabeça. Ele tinha marcas de punção no braço por causa da aplicação de algum medicamento.

A polícia suspeita de overdose.

Dorsa ficou conhecido em 2013 por estar envolvido na investigação da máfia do câncer.

O caso ficou conhecido nacionalmente e na época chegou a causar demissão de secretária de saúde.

Mas, passados os anos, a justiça até agora não puniu ninguém...

Dorsa agora, escapa da justiça dos homens, mas quem sabe terá de encarar o colo do capeta, não é mesmo?

Apesar de tudo, em caso de morte criminosa, torcemos para que a polícia consiga fazer justiça neste caso, como deve fazer justiça em relação a Máfia do Câncer.

sexta-feira, 9 de março de 2018

Caso Breno Pode Ir Muito Mais Longe do que se Poderia Imaginar

"Se fosse eu o advogado de defesa, diria: justo agora que meu cliente está provando sua inocência, surge essa droga em um carro que já foi periciado três vezes anteriormente?"
Essas foram as palavras de um dos cidadãos questionados por nós, sobre o caso envolvendo Breno.
Outro disse: "Só há dois caminhos: ou se anula essa prova, por suspeição, ou se acata essa prova e inicia-se um processo administrativo contra os agentes que realizaram as primeiras três perícias anteriores por negligência. Ambas as soluções são polêmicas e discutíveis.".

ENTENDA O QUE OCORREU

Quase um ano depois da apreensão, a Polícia Federal encontrou cerca de dez quilos de maconha escondidos dentro do para-choque da Jeep Renegade na qual Breno Fernando Solon Borges, filho da presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Estado ( TRE-MS ), Tânia Garcia de Freitas Borges, foi preso ao transportar drogas e munições de alto calibre na BR-262, em Água Clara, em abril de 2017.
Em nota, o órgão informou que agentes de Três Lagoas faziam treinamento habitual com seus cães farejadores quando os animais indicaram que ainda poderia haver drogas no veículo, que está em nome da desembargadora. O caso foi registrado na própria delegacia do órgão. 
O carro foi periciado ao menos três vezes, tanto por profissionais da própria PF como da Justiça Federal, desde que foi apreendido na ocorrência em Água Clara. Na ocasião, Breno transportava como reboque onde estavam escondidos 129,9 quilos de maconha e mais de 350 munições de calibres altos, como 9 milímetros e 7,62, usada em armamento do tipo fuzil.
O CASO

Desde que o caso veio à tona, Breno e sua mãe não deixaram de ser notícia por longos períodos. Flagrado em conversas com integrantes de facções criminosas, ainda em junho do ano passado, o filho da desembargadora foi acusado pela de estar envolvido em planos de resgate de detentos do Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande.
Depois, por pedido de Tânia, Breno chegou a ser transferido para tratamento em clínica de São Paulo para tratamento de suposto problema psiquiátrico, com autorização da Justiça.
Em novembro, Breno voltou para uma cela separada do Presídio de Três Lagoas, onde já foi flagrado usando um celular.
O Conselho Nacional de Justiça foi um dos órgãos que abriu procedimentos para apurar a conduta da desembargadora e outros magistrados.

O CNJ arquivou nesta semana os procedimentos instaurados em agosto do ano passado contra os desembargadores José Ale Ahmad Neto e Ruy Celso Barbosa Florence. Eles respondiam por conta de decisões que beneficiaram Breno.
A apuração procurava identificar irregularidades que envolveram soltura de Breno.

José Ale Ahmad Neto, em plantão, concedeu habeas corpus ao investigado para que ele pudesse sair da prisão. Ruy Celso Barbosa Florence deu decisão que permitiu a transferência de Breno para uma clínica de tratamento, permitindo que ele saísse do presídio de segurança média de Três Lagoas.
A Justiça de Mato Grosso do Sul aceitou denúncia feita pelo Ministério Público Estadual contra Tânia por usar a máquina pública e sua estrutura em benefício próprio para soltar o filho.
O juiz David de Oliveira Gomes Filho, aceitou a denúncia por improbidade administrativa contra Tânia e o então chefe de gabinete da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário, Pedro Carrilho Arantes.
Ambos podem perder os direitos políticos por até cinco anos, pagar multa superior a R$ 8 milhões e ainda devolverem ao estado os gastos com transferência e escolta de Breno, que saiu de Três Lagoas e veio para Campo Grande, onde ficou no Hospital Nosso Lar por menos de 24 horas.
A ação civil pública foi movida pelos promotores Humberto Lapa Ferri, Marcos Alex Vera de Oliveira e Adriano Lobo Viana de Resende.
Gomes Filho não aceitou a argumentação da defesa da desembargadora de que os promotores não tinham competência para mover a ação e avaliou que o foro privilegiado só é válido para o presidente do Tribunal de Justiça, não para a presidência do TRE.
Tânia ainda é acusada de usar viatura descaracterizada da Polícia Civil junto de agente penitenciário e delegado de polícia para ir a Três Lagoas soltar o filho.

Segundo os promotores, não havia habeas corpus. O diretor do presídio na ocasião consultou Arantes, que lhe teria garantido a existência de uma decisão judiciária pela soltura. Tânia, que estaria nervosa, ameaçou prender o funcionário público caso não cumprisse sua ordem.


quarta-feira, 7 de março de 2018

Consórcio Guaicurus Só Piora o Transporte Coletivo na Capital


Não é de hoje que o Consórcio Guaicurus se faz de besta e atrapalha o povo de Campo Grande.

Além dos veículos velhos, que estão esfarelando, o consórcio não cumpre certos pontos do contrato, como a manutenção dos termimais.

A última imbecilidade foi a desativação do "pagfácil" do Shopping Campo Grande e um que existia na Avenida Afonso Pena.

Os ônibus com ar-condicionado prometidos pelo prefeito Marcos Marcello ( PSD ), até hoje...
A Agereg (Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos) encaminhará ofício notificando o Consórcio Guaicurus a reativar os dois terminas Peg Fácil na Afonso Pena. Os pontos foram desativados na última segunda-feira (5) e a decisão gerou insatisfação entre os usuários de transporte coletivo da Capital.
Segundo o diretor da agência, o ofício será encaminhado até o final desta tarde e o documento dá ao consórcio o prazo de 48h para restabelecer o serviço. “O contrato prevê que a empresa precisa oferecer um serviço de qualidade e deixa a população satisfeita. Como a desativação foi reprovada pela população, o consórcio então deixa de cumprir com a cláusula de satisfação”, detalha.
A empresa disse que irá esperar ser notificada para se manifestar sobre o assunto.
Os terminais desativados foram na Praça Ary Coelho e em frente ao Shopping Campo Grande. O aviso foi dado apenas em um cartaz afixado nos locais. O serviço começou a ser implantado no final de 2010.
A empresa garante que a população não será prejudicada já que a integração entre as linhas continuará pelo cartão recarregável, no entanto, usuários reclamam da falta de informação sobre as desativações.

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Soltando a Língua - Tarciso Tertuliano - Parte 2

Segunda parte de entrevista realizada dia 18 de janeiro com Tarciso Tertuliano, no nosso quadro Soltando a língua.
Ele agora fala sobre o estado de Mato Grosso do Sul.

LP - Primeiro, a sua última contribuição aqui foi em maio de 2017, quando você falou sobre a reforma da previdência. Depois, só voltou em setembro quando falou sobre as causas que poderiam tornar Bolsonaro presidente. Você parou de escrever?
TARCISO - Perdi um pouco o prazer de falar sobre política. Essa é a verdade. As pessoas andam muito alienadas. Para elas é tudo comunismo ou machismo ou bolsominion, hoje em dia. Não dá para ter diálogo sem que haja ofensas e histeria.

LP - Mesmo aqui no estado?
TARCISO - Até mesmo aqui, existem alienados. Mas ainda em número pequeno. Aqui o povo dá mais atenção a tereré e buraco, não aprofundam o assunto política.

LP - Em quem você aposta aqui no estado para o governo?
TARCISO - Puccinelli, infelizmente. A não ser que a justiça o pare, ele voltará a governar o estado.

LP - Mesmo com tornozeleira?
TARCISO - O povo daqui não liga para o que é certo ou errado. Eles querem apenas no fim, bater no peito e dizer: meu candidato ganhou do seu. Ainda é um povo sem consciência política.

LP - Quem você escolheria?
TARCISO - Bom, como eu vou anular, não tenho direito de dizer quem eu queria, mas posso dizer quem não quero. Não quero o Puccinelli, nenhum Trad, o Zeca já teve 2 mandatos, então também não.

LP - Ainda temos o Reinaldo Azambuja.
TARCISO - Não tenho nada contra ele, porém ele tinha que ser mais empreendedor. É muito,... como vou dizer? Muito apático, falta carisma.

LP - O juiz Odilon lançou sua pré-candidatura. O que você acha?
TARCISO - Você tem um partido, tem um punhado de gente que trabalha sério o ano inteiro, mesmo tendo os tranqueiras no meio, mas na hora da eleição você pega alguém de fora? Ele é alinhado com a ideologia do partido? Com o estatuto? Ou só veio por causa da fama? Ser juiz e julgar bandido é bem diferente de administrar um estado. Mas o povo entende isso?

LP - E o Bernal?
TARCISO - Anda sumido. Pode tentar senado ou câmara, mas para governo eu acredito que não.

LP - Houve um boato de "chapa branca" entre Nelsinho Trad e Zeca para o senado. Acha que pode acontecer?
TARCISO - Pode. Os Trad não estão mais no PMDB. Caíram em desgraça com o italiano. Podem sim se alinhar com o Zeca, que é muito mais republicano que o italiano, que é mais centralizador.

LP - E mulher? A Simone Tebet pode tentar algo? Ou a Rose Modesto?
TARCISO - O ideal seria sacar o Moka do senado. É tão inútil quanto uma verruga no dedo. Mas não acredito que elas tentem governo. Há boatos de que pode abrir uma vaga no Tribunal de Contas, e o Moka já estaria de olho nessa mamata. Abriria possibilidades para o senado. Mas, é boato!

LP - E o coronel Davi?
TARCISO - Para mim, é o mesmo que o Odilon. Vai demorar para crescer de forma a ameaçar os medalhões.

LP - Vai ser uma eleição complicada?
TARCISO - O eleitor vai ter de ficar atento. Os candidatos vão resumir os debates em volta do PT. Ainda mais se o partido lançar alguém. Mas isso, significa falta de propostas concretas. O eleitor precisa entender que falar mal de um candidato ou sigla, não significa capacidade administrativa ou legislativa. Falar mal, até eu posso, mas isso me dá credenciais para ser governador? Se sim, quero uma sigla e me candidato agora.

LP - Surgirá algum nome surpresa?
TARCISO - Pode ter volta do Suel, do Sidney Mello. Quem sabe do Pedrossian, do Bluma, e ate aparece um Tatá Marques? Depende do que as siglas querem. Elas tem projeto de governo ou querem apenas permanecer no governo? Muitos podem escolher a vá de deputado pelo simples fato de garantir sua carreira, mas sem pensar no estado.

LP - Pra terminar, você se canditaria?
TARCISO - Para ser governador, nunca! Mas se fosse só pelo prazer de participar do debate com o italiano, Zeca, Odilon, um Trad, então eu candidatava só para poder falar algumas coisas nas barbas deles em plena TV ao vivo.

LP - Resultado idealndas eleições 2018?
TARCISO - Luciano Huck presidente, Tatá governador, Bluma e Pedrossian senadores... Quem sou eu para dizer?